Dia dos Namorados 2023 no Brasil

Datas da Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados está previsto para acontecer nas seguintes datas:

A data é fixa e será sempre celebrada no dia 12 de junho.

Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados é uma data importante no calendário brasileiro. Nesse dia, casais de namorados, amantes, « ficantes » mais sérios optam por diferentes tipos de comemorações. A principal é, sem dúvida a troca de presentes, mas há quem prefira apostar num jantar romântico ou numa viagem a dois. Opções mais simples, mas não menos charmosas, como o buquê de flores ou chocolates também garantem o romantismo do dia.

Origem

Não por acaso, a celebração acontece na véspera do dia de Santo Antônio. O culto a esse santo no Brasil é herança portuguesa. Inicialmente, e já no Brasil Colônia, a vocação de Santo Antônio era militar. Seu nome era evocado para trazer proteção durante a guerra1.

Estudiosos contam que a escassez de portugueses na colônia colocou em destaque o valor do casamento, da procriação e até mesmo das uniões sem casamento. Nesse contexto, santos padroeiros do amor, da fertilidade, das uniões ganharam em popularidade, tendo em vista o objetivo o aumento da população brasileira daquela época. Conta-se que os grandes santos nacionais foram agraciados pela imaginação popular, que lhes atribuiu milagrosamente algum poder sobre o sexo, a aproximação do parceiro, a fecundidade, a proteção da maternidade. Santo Antônio estava nessa lista, ao lado de São João, São Gonçalo do Amarante, Nossa Senhora do Bom Parto2.

Atualmente, Santo Antônio é considerado o “santo casamenteiro” ou então o “das causas impossíveis”. Uma das simpatias para que Santo Antônio traga um bom parceiro é deixar sua imagem dentro de um copo d’água, de cabeça para baixo, até que a graça seja alcançada. Outra é deixar a estátua do santo dentro da geladeira. Se não funcionar, a estátua deve ser colocada no congelador3, até que o pedido se realize.

A criação da data no Brasil

Se a tradição cristã está infiltrada nas comemorações do Dia dos Namorados, a chegada dessa data no Brasil tem muito menos charme. A festa foi literalmente importada da tradição americana de festejar o dia de São Valentim, no dia 14 de fevereiro. O objetivo era aquecer as vendas do mês de junho, período considerado fraco no comércio brasileiro. Quem trouxe a data para o país foi o empresário João Dória, no ano de 1949. Porém, algumas adaptações precisaram ser feitas. Primeiramente, trocou-se a referência a São Valentim, santo nada popular no Brasil, por Santo Antônio. Em seguida, o 14 de fevereiro foi substituído pelo dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio no Brasil4. A jogada deu certo e o sucesso da data continua até hoje.

Origem do Dia de São Valentim

Existem diversas versões para a origem da festa de São Valentim. A própria existência do santo é controversa. Na história do cristianimo, existem pelo menos três santos de nome Valentim: dois que foram sepultados em Roma, e um outro que teria sido torturado na África, todos lembrados no dia 14 de fevereiro. As informações a respeito desses três mártires são consideradas insuficientes. Porém, ao longo dos séculos, a existência dos três Valentins foi se unificando na memória popular, o que resultou na criação de um personagem e de uma tradição.

Uma versão conta que a festa de São Valentim está vinculada às festas lupercais do Império Romano. Essas festas eram rituais pagãos em homenagem a Fauno Luperco, uma das divindades mais famosas da mitologia romana, protetor dos pastores e dos rebanhos. As festas aconteciam no dia 15 de fevereiro, cinco semanas antes do início da primavera. Porém, por volta do século 5 d.C., o papa Gelasio 1º integrou a data ao calendário cristão, instituindo o dia 14 como data de celebração5.

Outra versão conta que o padre Valentim foi um mártir que lutou contra as ordens do imperador Cláudio II. Esse último havia proibido casamentos durante a guerra, por acreditar que solteiros tinham melhor desempenho nos combates. Valentim descumpriu tal ordem, ao casar clandestinamente diversos jovens que o procuravam. Foi, então, descoberto e condenado à morte. Valentim morreu no dia 14 de fevereiro do ano de 270. Enquanto aguardava a sentença em sua cela, recebia bilhetes e recados de apoio. Um deles teria vindo da filha de um carcereiro, por quem Valentim se apaixonou. Numa mensagem que enviou à moça, assinou “seu Valentim”, o que teria se tornado o primeiro cartão de dia dos namorados6.

Considerando, porém, que toda essa história não passasse de uma lenda, a igreja católica deixou de reconhecer São Valentim, questionando inclusive sua existência.

Referências

  1. DE MELLO PEIXOTO AMARAL, Rita de Cássia. Festa à Brasileira: Significados do festejar no país que não é «sério». Tese de Doutorado, USP. São Paulo, 1998. P. 161.

  2. FREYRE, Gilberto. Casa Grande&Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 48a. edição. São Paulo: Global, 2003.

  3. Consultar http://www.bolsademulher.com/amor/simpatias-para-santo-antonio

  4. Consultar http://www2.uol.com.br/historiaviva/noticias/as_origens_historicas_do_dia_dos_namorados.html

  5. Consultar http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u68413.shtml

  6. Consultar http://www.guiadoscuriosos.com.br/categorias/1245/1/namorados.html